quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Testemunho de Inseminação Artificial

Bom agora vou contar a minha historia, como já deve ter percebido não tenho filhos, neste exato momento tenho 30 anos e já me frustrei muito por não poder engravidar, mas tudo na vida tem um para que, e o meu eu ainda não sei, mas ainda vou descobrir, vou começar a contar.
Meu nome é Tatiana estou com 30 anos, auge das mulheres que pretendem engravidar pela primeira vez, bom eu comecei a namorar meu marido eu tinha 16 anos e ele 20, o nome dele é Alex, namoramos por 7 anos e 8 meses para casar, casei em 2002, quando namorávamos sempre nos prevenirmos para não engravidar, depois que casamos decidimos que não íamos mais nos prevenir pois já estávamos casados e se por um acaso engravidasse seria muito bom apesar de não estarmos estruturados financeiramente, apesar de já morarmos na nossa própria casa ela ainda não estava pronta, mas isso não importa. Com forme foram passando os meses e eu não engravidava comecei me preocupar achava que eu tinha algum problema chorava toda as vezes que minha menstruação aparecia, muitas vezes chorava escondida do Alex porque para mim eu era pior mulher do mundo por não engravidar, de não poder dar um filho a ele. Mas o Alex nunca foi tão preocupado com a idéia de ter filhos para ele se a gente tiver tudo bem se não tudo bem também, ele sempre gostou de crianças. Os anos foram se passando fui ao medico varias vezes e todas as vezes o medico me falava a mesma coisa, “não posso, mas fazer exames, pois seu esposo precisa fazer o espermograma, porque do que vai adiantar eu pedir vários exames se no final ele tiver algum problema, o exame de espormograma é muito simples não dói e os exames que vou solicitar são doloridos desconfortáveis, por isso é melhor ele fazer o exame primeiro”, e ai o tempo foi passando, para mim uma eternidade, ate que em 2006 o Alex resolveu fazer o exame foi ao medico sozinho, quando voltou já vou com uma noticia não muito boa, pelo exame que o medico fez no consultório ele deveria ter um probleminha, “varicocele”, mas que era coisa simples, mas solicitou o exame de espormograma para ver como seria, o Alex não queria muito fazer, mas fez, no dia que pegou o resultado meu chão caiu, fiquei sem saber o que significava os resultados, a única coisa que entendia era que a classificação estava abaixo do péssimo, o Alex se fez de durão que estava tudo bem, mas via que não estava. Chegou o dia de ele ir ao medico, foi por volta das 10h00min horas na consulta, saindo de lá veio para casa, me olhou com um jeito que só de lembrar enche meus olhos de lagrimas e disse “é Tati não tem jeito não posso te dar o filho que você tanto quer”, naquela hora não sabia se chorava ou se o abraçava e dava força a ele, e foi o que eu fiz, o abracei e disse não se preocupe o que tiver que ser será, o medico disse que você tem o que? Tem tratamento? Daí disse que tinha varicocele, que os espermas quando saiam à maioria já estava morto e os que saiam vivos no caminho ficavam e não tinham forças pra chegar ao destino, mas que teria uma cirurgia que poderia fazer para resolver, daí ele marcou a cirurgia, não comentamos com ninguém que ele havia ido ao medico muito menos que iria fazer a cirurgia, íamos falar só na semana da cirurgia, mas nesse período minha cunhada, irmã do Alex engravidou, daí ele acabou contando, pois ficou com medo de alguém falar que era só por que a irmã tinha engravidado é que foi atrás para ver, bom chegou o mês de março de 2007 tão esperado e lá foi eu e o Alex para ele operar, fez a cirurgia em um dia no outro já saiu, reclamou um pouco de dor, ainda mais que os pontos de um lado inflamaram, mas passou, o medico disse que em 9 meses a 2 anos é que se tem o resultado da cirurgia e que depende de pessoa para pessoa, então eu imaginando e sonhando ao mesmo tempo “imaginava e tinha esperanças” que no máximo em 6 meses estaria grávida, mas não foi bem isso que aconteceu, o que aconteceu foi que no final de março minha outra cunhada esposa do irmão do Alex também engravidou, ao mesmo tempo que fiquei feliz por ela, pois também fazia muito tempo que estava tentando engravidar, fiquei com dor de cotovelo não posso negar, mas curti a gravidez dela tanto como se fosse a minha, quando o meu sobrinho filho da Irma do Alex nasceu foi emocionante mas ao mesmo tempo me imaginava no lugar dela e chorei, chorei muito sozinha sem ninguém saber, mas passou e prometi que quando o outro sobrinho nascesse não iria chorar, quando minha concunhada foi para o hospital ter o bebe lógico que fui junto, como já falei curti demais a gravidez dela, era como se um pedacinho de mim estivesse la dentro, isso porque laços de sangue não temos, mas eu iria ser madrinha, foi então que no dia 15 de novembro de 2007 meu sobrinho nasceu fiquei muito, mas muito emocionada, mas não chorei, me segurei o máximo que pude, mas quando cheguei em casa antes de dormir eu e o Alex começamos a conversar e chorei, chorei e chorei que nem criança, o fato de já ter passado 8 meses e não tinha engravidado me torturava comecei novamente a achar que tinha algum problema, daí fui ao meu medico solicitei um encaminhamento para um especialista na área ele me passou e disse que os dois eram ótimos e que era para eu ver qual que eu preferia os dois não são da minha cidade, cada um de uma cidade diferente, escolhei um e marquei consulta para janeiro de 2008, decidimos que não contaríamos a ninguém nem aos nossos pais nem a amigos que tentaríamos fazer tratamento, e no dia marcado fomos eu e o Alex, o medico passou um exame para o Alex fazer, levei os meus que meu medico tinha me passado (histerioscopia) daí depois que o Alex fez o exame ele nos aconselhou a fazermos uma Inseminação Artificial, então no mês de março comecei a tomar a medicação, fiz os ultrassons só que não foi possível fazer pois não ovulei do jeito que era necessário, no mês seguinte fizemos outro tratamento, só que ao invés de tomar uma medicação em dias alternados tomei medicação todos os dias, fiz os ultrassons necessários, e chegou o grande dia, fizemos nossa primeria IA, fiquei ansiosa com o resultado, torcia, rezava para dar certo, só que infelizmente não deu, me decepcionei, mas sabia que era difícil já de cara conseguir, passei por consulta novamente e o medico disse que tentaria só mais uma vez fazer IA e que depois só a fertilização, então lá fomos nos novamente para mais uma IA, no dia 27 de maio fizemos, só que novamente sem o resultado esperado, não preciso nem falar que chorei, chorei por não ter conseguido, chorei porque não queria fazer fertilização, chorei porque minhas chances de engravidar caíram por terra, mas me recuperei e eu e o Alex decidimos que não íamos tentar mais, deixaríamos como estava e que o melhor aconteceria. Passou uns três meses e deu formiguinha e decidimos que iríamos procurar outro especialista para ver a opinião dele, daí marquei consulta com o outro medico que tinha sido indicado pelo meu medico, e tinha uma amiga que também já havia ido nele, e la fomos nós em outra consulta, chegando lá o medico explicou tudo novamente, tudo o que o outro medico já havia explicado, só que explicou de maneira diferente, foi mais didático, solicitou uma bateria de exames tanto para mim quanto para o Alex, fizemos todos os exames, e voltamos nele, ai descobriu que eu tinha um cisto no colo do útero e que eu teria que fazer uma histerioscopia para retirar e só depois voltar nele, e ele disse que as vezes depois da cirurgia poderíamos tentar engravidar naturalmente já que o espermograma do Alex estava excelente, pois a cirurgia havia dado resultado, fiquei tão feliz, que não cabia em mim, o Alex não preciso nem falar de como ficou feliz. Então marquei a cirurgia, e resolvemos contar para todos que fizemos os tratamentos e que não deram certo, paramos de esconder isso tirou um peso das minhas costas, pois as pessoas da família e amigos sempre perguntavam porque a gente não fazia um tratamento e tinha que mentir ou melhor omitir, chegou o dia e fiz a cirurgia, o cisto estava em um local bem na entrada da trompa o que com certeza impedia o esperma entrar de um dos lados. Depois da cirurgia decidimos que não voltaríamos ao medico, e tentaríamos por um período engravidar naturalmente, hoje faz quase oito meses que fiz a cirurgia e ainda não engravidei, lógico que tenho esperanças de conseguir, só que a vontade de ser mãe passou um pouco, não sei dizer o motivo, só sei que passou, lógico que tenho vontade, as vezes me pego pensando como montaria um quartinho, as roupinhas, os nomes, os padrinhos e tudo mais, sempre tive vontade de ter gêmeos, mas hoje sei que daria muito trabalho, mas que é bonitinho é.
Já rezei tanto, já pedi tanto, minha mãe já fez novena de 9 meses, também já fiz só que de 9 dias, mas ainda não veio, talvez por não ser à hora certa, pois as coisas acontecem não no momento que a gente quer e sim na hora que Deus quer, só ele sabe os planos que tem para mim e para o Alex, enquanto isso não chega vamos levando a vida numa boa, agora sem stress, sem medo, mas com esperança de que um dia minha hora também chegue, enquanto isso vou fazendo a minha parte tentando fazer a vida das pessoas que estão ao meu redor mais feliz e mais fácil. E também convivendo com os quilos a mais que o tratamento me trouxe que agora não consigo mais eliminar, perder, são 12 quilos que não saem, isso é uma reclamação geral, tenho contato direto com 2 amigas que também fizeram tratamentos e tomaram hormônios assim como eu, e elas também reclamam que ganharam peso e que é muito difícil perde los, talvez seja pela ansiedade mas que eles não saem. Assim vamos levando nossas vidas com fé, esperança e amor e que seja feita a vontade de DEUS.

3 comentários:

  1. Tati, querida, nossa hora vai chegar, Parabéns pela idéia do Blog, que seja lugar de partilhas, e de mtas vitórias, quem sabe dá sorte?? Bjos

    ResponderExcluir
  2. oi tati,tenho 38 anos e fiz laqueadura com 20,logico ne me arrependi,me divorciei faz 8 anos,e con heci uma pessoa maravilhosa,hoje sonho em ter um filho com ele,nao sei mais o que fazer nao tenho dinheiro pra fazer uma inseminaçao,e isso me doi muito,meus dois filhos estao criados,e meu sonho e poder ter um pedacinho do meu amor pra vida toda....obrigado amiga força e fe em deus bjao

    ResponderExcluir
  3. os exames para descobrir a infertilidade e pré FI são dolorosos??

    ResponderExcluir